.

Clique aqui e escolha a sua no Site TonyGifsJavas.com.br

O SABOR DA VIDA COMEÇA NA COZINHA


.

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Bordados de Regina Célia

São lindos demais os trabalhos de minha amiga Regina...Ela é muito caprichosa em tudo que faz, sempre procura dar o melhor de si. Tenho outros trabalhos feito por ela também e todos belíssimos. Obrigada amiga pelo seu carinho. O bordado é uma arte milenar que, mesmo tendo passado por várias transformações nos seus processos de fabricação, não perdeu a sua essência e através dos avanços tecnológicos tornou-se uma excelente fonte de renda.
Toalha de Mão

 
Toalha de banho do meu querido netinho.
Porta Pepel Higiênico
Caminho de mesa

Esse lado é o avesso do trabalho...super caprichamado. Um acabamento impecável.
Parabéns Regina!


A história do bordado origina-se com o bordado ponto cruz, cujos registros históricos remontam na pré-história. No tempo em que os homens moravam em cavernas, o ponto cruz era usado na costura das vestes, feitas de peles de animais. As agulhas eram feitas de ossos e no lugar das linhas eram usadas tripas de animais ou fibras vegetais..
Existem relatos de que o bordado seja tão antigo quanto a humanidade e de que o bordado com aplicações já era apreciado pelo homem há 30 mil a.C. A base disso seria um fóssil, encontrado na Rússia, que tinha as vestes adornadas com grânulos de marfim.
Como a maioria das outras artes têxteis e dos trabalhos com agulhas, várias técnicas da arte dos bordados surgiram no Oriente Médio.A arte dos bordados manuais com suas variadas técnicas, ainda é bastante utilizada nos dias atuais em todo o mundo.
No início do século XX, surgiu o bordado a máquina. Feito em máquina de costura doméstica reta a pedal, que ainda é utilizado. Mas, este tipo de bordado requer bastante trabalho por parte do bordador, que tem de movimentar braços e pernas para bordar e tem pouco rendimento comparado a outras formas de bordar. Na década de 50 surgiu o bordado em máquina de costura zig-zag industrial, garantindo uma produtividade maior. Exigindo do bordador, entretanto, mais habilidade e agilidade, pois o movimento do bastidor tem que ser feito de forma manual.
Acompanhando a evolução tecnológica no mundo, na década de 80 surgiram as bordadeiras eletrônicas profissionais e industriais. Acompanhadas de softwares de criação aliaram ao antigo prazer de bordar a facilidade, a praticidade, a produtividade e a elevação da renda. Desde seu surgimento, as bordadeiras eletrônicas e os softwares de criação de bordados têm sido aprimorados constantemente. A cada ano surgem novos modelos com mais recursos para facilitar o trabalho dos bordadores. A partir das bordadeiras eletrônicas cresceu muito o número de homens envolvidos no trabalho de bordados, tanto na parte de software quanto na operação das máquinas.
O bordado industrial como o próprio nome já diz é dirigido à indústria da confecção. Com máquinas que produzem múltiplos bordados iguais ao mesmo tempo. Essas máquinas são encontradas em grandes confecções ou empresas de bordados que normalmente prestam serviços somente para clientes com grandes produções.
No trabalho com bordados profissionais dispõe-se de um grande e variado campo de trabalho. Para muitas pessoas é a oportunidade de iniciar seu próprio negócio, mesmo sem experiência. Para outras a possibilidade de incrementar sua empresa de confecção. O bordado profissional é um negócio que pode ser iniciado em casa, como empresa informal, o que facilita muito a oportunidade de trabalho pois minimiza os custos. A área de atuação é vasta, pode-se prestar serviços de bordados personalizados para particulares como: bordados de nomes em toalhas, fraldas, camisetas, lençóis, etc. Pode-se também prestar serviços de personalização de uniformes para empresas, escolas, camisetas de grupos ( turismo, igrejas, estudantes, terceira idade); É possível também montar quiosques de bordados em shopping, supermercado ou aeroporto ou ainda prestar serviços de personalização para pequenas empresas de confecção.
Simone Batista de Miranda Rebouças
Fonte: Site BrasilCultura



Nenhum comentário: