.

Clique aqui e escolha a sua no Site TonyGifsJavas.com.br

O SABOR DA VIDA COMEÇA NA COZINHA


.

domingo, 30 de agosto de 2015

Torta Cremosa de Ricota, Requeijão e Geléia de Maçã





Essa é pra fechar a semana com uma sobremesa deliciosa, muito saborosa e o melhor de tudo super saudável. Quem não tem vontade comer uma sobremesa de vez enquanto, não é mesmo? Se comer sem exagerar essa aqui  você pode comer sem medo...Ficou boa demais! Irresistível!!!



Ingredientes
da massa:



150g de biscoito maisena

100g de margarina
Margarina para untar


Ingredientes 

do Recheio Cremoso:


370 de ricota

1 copo de requeijão light (220 g)
1/2 xícara (chá) de adoçante culinário (sucralose)
1 colher (chá) de essência de  baunilha
3 ovos inteiros



Ingredientes da Calda: Geléia:

5 maçãs
1/2 xícara (chá) de adoçante culinário (suclose)

Preparo da Massa:
Triture os biscoitos no liquidificador. Coloque em uma tigela funda, junte a margarina e amasse bem com os dedos até obter uma farofa úmida. Unte com a margarina uma forma redonda desmontável (aro 25 cm de diâmetro), forre a base (fundo da forma) com a massa de biscoito e leve para gelar por uns 30 minutos.

Preparo do Recheio:
Bata a ricota com o requeijão em um liquidificador. Aos poucos, acrescente os ovos, o adoçante culinário e a essência de baunilha.Continue batendo até obter um creme homogêneo. Retire a forma da geladeira e despeje o creme que acabou de bater. Leve ao forno médio por aproximadamente 50 minutos ou até que fique bem firme. Deixe esfriar um pouco e abra a forma delicadamente, se por acaso a massa grudar um pouco, desgrude com auxílio de uma espatula fina ou uma faca delicada.Leve a geladeira, deixe gelar um pouco  e coloque a geléia de maçã sobre a torta.

Preparo da Geléia:

Ingredientes
2 maçãs de maçãs
1 xícara (chá) de adoçante culinário (sucralose) 
1 envelope(s) de gelatina incolor sem sabor

Preparo da Calda:
Lave bem as maçãs, corte as maçãs ao meio e retire as sementes. Pique-as em pequenos pedaços e leve em uma vasilha tampada ao microondas por sete minutos em potência alta. Bata no liquidificador as maçãs junto com o líquido formado no cozimento. Coloque de volta na vasilha, junte a sucralose e a gelatina em pó dissolvida em 4 colheres (sopa) de água, misture bem bem para não empelotar. Leve ao microondas, sem tampar, por mais 7 minutos em potência alta.

Deixe a geléia esfriar e espalhe sobre a torta reservada na geladeira. Bom Apetite!!!


quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Geléia de Morango em Cinco Minutos na Panela de Pressão

cópia - 2

SAM_1807 cópia


Ingredientes:

2 caixinhas de morangos limpos e bem lavados
1 xícara (chá) de adoçante forno e fogão (Sucralose)
1 pau de canela

Preparo:Lave bem os morangos e pique-os em três partes. Pegue uma panela de pressão, coloque os morangos picados, a sucralose e o pau de canela. Tampe a panela e assim que começar a chiar conte exatamente cinco minutos. Deixe sair todo o ar e confira o ponto da geléia, caso esteja ainda muito mole leve ao fogo novamente e deixe secar mais um pouco mexendo sempre. A geléia fica cremosa e brilhante. É ótima para passar em biscoitos, torradas ou mesmo comer acompanhado de qeuijinho branco. Rápido, fácil e deliciosa.

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Dobradinha (Bucho) Com Batatas


O prato preferido de Fernando Pessoa. “Tanto que lhe dedicou poema, escrito num dos poucos restaurantes da região, o Ferro de Engomar. Algumas pessoas acham essa receita muito trabalhosa, mas hoje já compramos o bucho(dobradinha) bem limpinho, o que torna  ainda mais simples o preparo. É uma receita deliciosa mesmo.

Ingredientes:

500 g  dobradinha limpa
1 litro de água
3 dentes de alho socados ou espremidos
2 tomates picados, sem pele
1/2 pimentão cortado em tirinhas
1 cebola grande picada
1 folha de louro grande
4 batatas tamanho médio cortadas em rodela
Sal, pimenta a gosto
Cheiro verde, salsinha...opcional


Preparo:
Limpe a Dobradinha, tirando a gordura. Lave muito bem e esfregue com limão. Lave-a mais uma vez e em uma panela grande, coloque o bucho para ferver com suco de meio limão. Ao levantar fervura retire do fogo e escorra toda água. Passe em água corrente, deixe cair bastante água fria. Feito isso escorra toda água e tempere-a com o alho, sal e a pimenta a gosto.  

Corte o bucho em tirinhas, tempere-o com o alho e o sal. Coloque-o na panela de pressão junto  com a cebola, os tomates e o pimentão. Mexa para dar uma leve  refogada e coloque a água.  Feche a panela e assim que começar a chiar conte 40 minutos. Deixe sair todo o ar e abra a panela, se ainda não estiver cozida,  retorne a panela ao fogo por mais 15 minutos. Novamente, deixe sair todo o ar e coloque mais 100 ml de água e as batatas cortadas em rodelas. Acerte o sal (tempere a seu gosto). Leve novamente a panela ao fogo e assim que a panela chiar apague o fogo e mantenha a panela fechada até sair todo o ar. Finalize com bastante salsa e cebolinha.

É Bom Saber:
 Um pouco da história da Dobradinha

Tripa, dobrada, bucho ou mondongo, qualquer que seja o nome dado, é a parte interna do estômago do boi, do carneiro ou do porco.  Por não ter gosto próprio, ao cozer, absorve os sabores de outros ingredientes da receita. Está presente em muitos pratos de prestígio de diferentes culturas. Na França é o “Trippe a la mode de Caen” – com alho, alho-poró, cebola, cenoura, mais pés de porco e de vitelo. No México, “Menudo” ou “Pancita” – sopa muito condimentada, com grãos de milho. Na Itália, “Trippa alla romana” – com azeite, cebola, folha de hortelã, tomate e vinho; e também “Busecca” – sopa com cebola, cenoura, feijão, manteiga, tomate.
Mas essa tripa fez fama mesmo, sobretudo, em Portugal, onde é conhecida como “Tripas (ou Dobrada) à moda do Porto”. Era o prato preferido de Fernando Pessoa. “Tanto que lhe dedicou poema, escrito num dos poucos restaurantes da região, o Ferro de Engomar – ainda hoje funcionando, na Estrada do Benfica”, segundo José Paulo Cavalcanti, em livro a ser lançado em breve. Esse poema é “Dobrada à moda do Porto”, assinado pelo heterônimo Álvaro de Campos.
… Um dia, num restaurante, fora do espaço e do tempo, Serviram-me o amor como dobrada fria. Disse delicadamente ao missionário da cozinha Que a preferia quente, Que a dobrada (e era à moda do Porto) nunca se come fria.
Mas, se eu pedi amor, porque é que me trouxeram Dobrada à moda do Porto fria?
O prato chegou ao Brasil com os primeiros colonizadores, para frequentar sobretudo mesas nordestinas. E logo fez sucesso, apesar de um preparo que exige cuidado e muita paciência. As tripas devem ser bem lavadas e esfregadas, com limão e sal, até ficarem brancas; depois cortadas em pequenos pedaços e aferventadas por duas vezes, com meia colher de sopa de bicarbonato de sódio. Faltando só lembrar que, assim como os de Lisboa são chamados “alfacinhas”, os naturais do Porto acabaram também conhecidos como “tripeiros”. Não há consenso, em relação à origem da expressão. A versão mais difundida é a de que o infante D. Henrique, precisando abastecer suas caravelas, para a conquista de Ceuta (1415), teria destinado aos viajantes todos os alimentos da cidade; restando, para os que ficaram, apenas tripas.
Fonte das informações: Armazém

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Pão Com Aveia e Iogurte By Betechef


Já estava com saudades de fazer um pão, o que eu gosto muito. Esse é bem fácil, basta misturar com uma colher de pau e deixar crescer. No lugar do leite eu coloquei iogurte por ser um alimento probiótico e as bactérias normalmente presentes no iogurte também fabricam as vitaminas do complexo B dentro do trato intestinal e por todos estes motivos o iogurte natural deve fazer parte da alimentação diária de todos.



Ingredientes:
1 copo de iogurte (170g)
1 sachê de fermento biológico (10g)
1colher (chá) de adoçante em pó forno e fogão (sucralose),
3 claras
2 colheres (sopa) de margarina light
2 xícaras (chá) de farinha de trigo
1 xícara (chá) de aveia em flocos
1 colher (chá) de sal
Margarina light e farinha de trigo para untar

Preparo:
Misture o iogurte, o fermento e o adoçante até dissolver. à parte, misture a farinha, a aveia e o sal. Junte as duas misturas e mexa até ficar bem  liquida. Coloquem em fôrma para bolo inglês, média untada e enfarinhada, cubra com um pano e deixe crescer por 40 minutos. Leve ao forno médio, preaquecido por aproximadamente 35 minutos ou até que ao enfiar o palito o mesmo saia limpo.

Obs.: Eu coloquei o meu em uma forma grande e por isso a fatia ficou mais fina...procure colocar em forma tamanho médio. O sabor fica ótimo e  fica bem macio.Bom Apetite!


quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Pão de Ló de Banana e Fubá Por Betechef




Preste atenção na massa desse pão de ló, fica até dificil descrever de tão gostoso, macio e úmido...isso sem falar no cheiro irresístivel. Gente é muito bom mesmo...se pudesse daria um pedacinho para cada um de vocês. 


Ingredientes:
3 bananas d´água (nanica)
1 xícara (chá) de fubá
1 e 1/2 xícara (chá) de farinha de trigo
1¹/² xícaras (chá) de sucralose ou açúcar
3 ovos inteiros
1 xícara (chá) de leite
1 xícara de chá de óleo ( menos 1 dedo)
1 pitada de sal
1 colher (sopa) de fermento em pó
1 colher (café) de erva doce
canela e sucralose para polvilhar

Preparo:


Bata as claras em neve, depois acrescente as gemas, as duas  bananas amassadas com  a sucralose ou açúcar, o fubá, a farinha trigo e a pitada de sal. Bata bem. Aos poucos vá colocando o leite e o óleo juntos. Misture tudo muito bem. Acrescente a erva doce, e a terceira banana picada mexendo delicadamente, finalize colocando o fermento em pó. Despeje em uma forma tamanho médio untada e enfarinhada. Leve ao forno médio para assar por uns 40 minutos ou até que ao enfiar um palito este saia limpo. Retire do forno e espalhe a canela com a sucralose ou canela com açúcar. Agora é só fazer um cafézinho ou um chazinho e saborear esta delícia.


domingo, 16 de agosto de 2015

AMIZADE



Você já pensou na grandeza da amizade?
Diz um grande pensador que quem encontra um amigo, encontra um tesouro valioso.
A amizade verdadeira é sustentáculo para muitas almas que vivem sobre a face da Terra. Ela está presente nos lares e fora deles, na convivência diária das criaturas.
A amizade é tão importante que já foi comparada com muitas coisas de valor.
Um pensador anônimo compara a amizade com as estrelas, e aqueles que não têm amigos ele compara com os cometas, que vêm e vão, mas não permanecem, nem iluminam como as estrelas.
Diz ele mais ou menos assim:
Há pessoas estrelas e há pessoas cometas. Os cometas passam. Apenas são lembrados pelas datas que passam e retornam.
As estrelas permanecem. O Sol permanece. Passam-se anos, milhões de anos e as estrelas permanecem. Os cometas desaparecem.
Há muita gente como os cometas, que passa pela vida da gente apenas por instantes. Gente que não prende ninguém e a ninguém se prende.
Gente sem amigos. Gente que apenas passa, sem iluminar, sem aquecer, sem marcar presença. Assim são as pessoas que vivem na mesma família e que passam um pelo outro sem serem presença.
O importante é ser como as estrelas. Permanecer. Clarear. Estar presente. Ser luz. Ser calor. Ser vida. Ser amigo é ser estrela.
Podem passar os anos, podem surgir distâncias, mas a marca da amizade fica no coração. Corações que não querem se enamorar de cometas, que apenas atraem olhares passageiros e passam.
São muitas as pessoas cometas. Passam, recebem as palmas e desaparecem. Ser cometa é ser companheiro apenas por instantes. É explorar os sentimentos humanos.
A solidão de muitas pessoas é consequência de não poderem contar com alguém. É resultado de uma vida de cometa. Ninguém fica. Todos passam uns pelos outros.
Há muita necessidade de criar um mundo de pessoas estrelas. Aquelas com as quais todos os dias podemos contar. Todos os dias ver a sua luz e sentir o seu calor.
Assim são os amigos estrelas na vida da gente. Pode-se contar com eles. Eles são presença. São coragem nos momentos de tensão. São luz nos momentos de escuridão. São segurança nos momentos de desânimo.
Ser estrela neste mundo passageiro, neste mundo cheio de pessoas cometas, é um desafio, mas, acima de tudo, uma recompensa.
É nascer e ter vivido e não apenas existir.
E você? É cometa? Ou é estrela?
*   *   *
Enquanto o desejo é chama que se consome e deixa um vazio nas almas, a amizade é bênção que alimenta e sustenta em todos os momentos da vida.
Quem compartilha apenas do desejo corre o risco de ficar só, tão logo o desejo cesse, mas quem divide a amizade tem a certeza de que nunca estará sozinho.
É por essas e outras razões que a amizade é sempre comparada às coisas belas e de grande valor.
Pode ser comparada a um tesouro...
A uma flor perfumada que jamais fenece...
A uma estrela que aquece e vivifica, ou com a luz que jamais se apaga...
O importante mesmo é ter amigos ou ser amigo de alguém, porque só assim teremos a certeza de que nunca estaremos desamparados.
Redação do Momento Espírita, com base em texto de autoria desconhecida.

Disponível no livro Momento Espírita, v. 1, ed. Fep e no CD Momento Espírita, v. 5, ed. Fep.
Em 02.03.2009.

sábado, 15 de agosto de 2015

Bolo de Cenoura Zero Glúten Light




Ficar sem o glúten tem outra vantagem: a maioria dos alimentos que carregam essa substância é calórica e, sem eles, você emagrece mais facilmente. Durante a dieta, frutas, verduras, legumes e raízes como cará, inhame, batata-doce, mandioca e derivados (tapioca, biscoito de polvilho, pão de queijo) serão suas fontes de carboidrato. "São alimentos que garantem energia sem o inconveniente do glúten", diz Daniela Jobst. Para completar o prato, a nutricionista sugere sempre proteínas magras, garantindo equilíbrio em todas as refeições. Se você quiser, pode até esticar a dieta por até 30 dias sem o risco de passar fome ou perder energia. 

Fonte:http://mdemulher.abril.com.br/





Ingredientes:3 ovos inteiros 
2 cenouras tamanho médio
5 colheres (sopa) de margarina light
1 xícara (chá) de sucralose (adoçante em pó forno e fogão) use o de sua preferência
1 xícara (chá) de farinha de arroz
1¹/² xícara (chá) de amido de milho (maisena)


Preparo:
Bata os três primeiros ingredientes no liquidificador. Em uma bacia redonda coloque os outros ingredientes e vá adicionando o que foi já batido no liquidificador aos poucos. Mexa bem. Reserve. Pegue uma forma de furo no meio, unte e enfarinhe com farinha de arroz ou amido de milho. Coloque a massa do bolo reservada. Leve para assar em forno médio por aproximadamente 45 minutos ou até que ao enfiar o palito o mesmo saia limpo. Eu servi o meu com geléia de manga e gostei muito. A massa do bolo sem glúten ficou muito leve e muito saboroso.