sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Queijadinha de Tabuleiro no Liquidificador


Hummm! Que maravilha não é mesmo saborear essa delícia que tem sua sua origem na cozinha portuguesa e na época do Brasil colônia! A receita tradicional geralmente é colocada em forminhas de empadas e um pouco mais trabalhosa no seu modo de preparo. Essa receita aqui é bem simples, mas sem deixar de ser super saborosa e muito mais rápida de fazer. Quer experimentar?!...




Ingredientes:

200 g de coco ralado
1 vidro pequeno (200 ml) de leite de coco
4 Ovos
2 colheres de sopa de manteiga
 1 lata de leite condensado
4 colheres de sopa de queijo meia cura ralado
3 colheres de sopa de farinha de trigo
1 colher de chá de fermento em pó

Modo de fazer:

Coloque todos os ingredientes pela ordem descrita no liquidificador e bata bem.  Depois de bem batido despeje a mistura em um  tabuleiro untado e enfarinhado.  Leve para assar por 30 minutos em forno moderado ou até que esteja dourada e completamente assada. Sirva fria.



É Bom Saber:

O Estado do Sergipe guarda segredo da queijadinha do tempo dos escravos
Doce de origem portuguesa era feito com queijo, mas em São Cristóvão o produto foi substituído por coco, abundante na região

O tempo do Brasil colônia está nas fachadas e dentro do casario. A quarta cidade mais antiga do país guarda histórias e sabores de outros séculos.

Bisneta de escravos, Marieta dos Santos mantém intactos na cozinha o forno à lenha e a queijadinha, um segredo de gerações.

“A receita veio da nossa bisavó, passou para nossa avó, para minha mãe e eu tenho maior cuidado para cada dia fazer melhor”, comenta a doceira Marieta dos Santos.
Mãos vigorosas para deixá-lo bem fininho. A brancura do coco é misturada a uma calda de água e açúcar. Borbulhas saltitam na panela. E pela magia da culinária se transforma em um precioso recheio. A farinha peneirada é de trigo, mas aqui, tem ares de realeza.

"Muito gostoso . Bom, é coisa que atravessou século”, comenta o paulista Honílio Figueiredo.

"Eu não sei dizer como vocês chamam, farinha de trigo, eu só sei chamar de farinha do reino, porque lá na senzala, na Casa Grande todo mundo conhecia como farinha do reino", explica dona Marieta.
A receita da queijadinha atravessou a história da cidade por mais de três séculos. É uma especialidade criada pelos portugueses. Na época o queijo era o principal ingrediente, mas foi com o coco que o doce ganhou fama.
Foram os escravos que substituíram o ingrediente na receita. O coco era facilmente encontrado na região. Assim, a queijadinha primeiro ganhou as senzalas e hoje é unanimidade entre os que visitam São Cristõvão."É muito saborosa, não fazia idéia”, diz Sirley de Souza, turista paranaense.

Fonte:
http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2010/09/cidade-de-se-guarda-segredo-da-queijadinha-do-tempo-dos-escravos.html

Um comentário:

Aromascom Amor disse...

Olá, adorei as tuas queijadinhas no tabuleiro. Vou levar a receita.
bjns

.

O SABOR DA VIDA COMEÇA NA COZINHA